18.3.10

Miguel Falabella põe atores para falar da Vida Alheia, na Globo


Com o slogan 'a vida alheia é mais interessante do que a sua´, a Globo apresentou à imprensa sua nova minissérie Vida Alheia, de Miguel Falabella, na manhã desta sexta-feira (18).

O seriado, que tem o autor assinando a direção com Cininha de Paula e Marco Rodrigo, colocam os atores do elenco do outro lado da questão. Isso, porque seus personagens irão discorrer sobre a rotina dos profissionais que trabalham em uma revista de celebridades.
A atração, em princípio, terá 15 episódios, sendo que quatro já foram gravados.

Marília Pêra vive Catarina, dona da revista; Cláudia Gimenez é a editora-chefe Alberta Peçanha; Daniele Winits, a repórter Manuela; e Paulo Vilhena faz o paparazzo Lírio.

Miguel Falabella contou o motivo de ter escolhido este elenco e contou como surgiu a ideia de falar sobre o universo de celebridades:

“Gosto de trabalhar com pessoas do meu convívio. Dizem que cada pessoa tem sua patota e eu gosto de trabalhar no meu universo”, disse ele, que teve a ideia de retratar esse assunto quando estava comendo com Cláudia Gimenez no Baixo Leblon, e chegou uma paparazzo para fazer as fotos e ele só pediu para que não saísse nem com a boca cheia, nem comendo, para não ser deselegante.

O autor frisou que esta não é uma série de humor, ela trata de relações entre pessoas e que o riso não é a característica principal.
“É humano”, disse o autor, que adiantou ter adotado o seu novo conceito: formato mais cinematográfico do que televisivo.

Paulo Vilhena contou que seu personagem é ético e uma boa oportunidade para que ele possa viver o outro lado.
“Ele é muito ético porque tem a opção de não fazer o que acha errado. Seria legal se todos da área pensassem assim, sem medo de ser colocado na gaveta, ou de ser demitido”, disse o ator.

Já Daniele Winits disse que sempre teve um bom relacionamento com a imprensa, embora se reserve ao direito de, às vezes, não falar sobre vida pessoal.
“Sempre fui muito acessível, os repórteres e os fotógrafos sempre puderam chegar bem perto de mim. Acho que o artista tem que respeitar a imprensa, do mesmo jeito que a imprensa deve respeitar o artista. É uma via de mão dupla, um necessita do outro”, disse a atriz, que ainda disse que o lado cruel da mídia é falar sobre vida pessoal em momentos delicados.

Feliz por interpretar um personagem escrito por Falabella, Marília Pêra disse que se surpreende a cada episódio e que o texto dele é fácil de decorar.


Fonte: Ofuxico

0 comentários:

Postar um comentário

Visitas

Pessoas no blog

Promoção

Tecnologia do Blogger.